fbpx

O medo de errar (DEBATE: Prof. Evanildo Bechara, Prof. Francisco Platão Savioli e Profa. Maria Helena de Moura Neves) – Março 2014

Para a inauguração da Série “Encontro com os escritores”, teremos enorme prazer em receber um escritor reconhecido como “unanimidade nacional”: Luis Fernando Verissimo – uma generosa oportunidade para que seus inúmeros leitores e admiradores tenham um encontro presencial.

Público-alvo

Editores, editores-assistentes, redatores, autores, jornalistas, revisores, preparadores de texto, copidesques, professores, publicitários, estudantes de letras, comunicação e jornalismo e demais interessados.
[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Conteúdo

Prof. Evanildo C. Bechara: “Uma visão sincera do Acordo Ortográfico”:
A comunicação vem por objetivo examinar os pontos positivos do novo Acordo Ortográfico de 1990, discutindo as críticas de que tem sido objeto na imprensa. Partindo de uma exposição didática, vincula-se o Acordo principalmente ao sistema ortográfico português, vigente ali desde 1945. Na oportunidade, ressaltar-se-á o conjunto de propostas descabidas, em contraste com os méritos da proposta de 1990.

Prof. Francisco Platão Savioli: “Uma visão crítica do ensino de língua”:
São procedentes as críticas segundo as quais o ensino de Gramática no Brasil pouco tem contribuído para melhorar o desempenho em leitura e produção de textos.
Mas essas críticas afetam o modo de fazer e não a natureza mesma da Gramática, entendida como o conjunto de princípios geradores das regularidades sem as quais língua alguma funciona.
A escola brasileira tem-se restringido à descrição de formas e mecanismos linguísticos e à prescrição de normas da língua padrão.
O ensino de Gramática pode fazer muito mais…

Profa. Maria Helena de M. Neves: “Uma visão consciente do uso linguístico”:
A relação da comunidade de uma língua com o seu próprio uso linguístico revela, em geral, uma forte consciência de que a sociedade representa uma instância de julgamento do modo de produção de cada usuário, trate-se da produção escrita trate-se da falada. Essa noção de que existe uma norma linguística (sempre impalpável, e por isso mesmo ameaçadora), se, por um lado pode incentivar uma fecunda imersão no modo de fazer a linguagem, por outro lado pode conduzir perigosamente o entendimento do que seja o bom uso da língua, inibindo a criatividade, especialmente na escrita.

Docentes

Evanildo Bechara

Nascido no Recife em 1928, é professor titular e emérito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da Universidade Federal Fluminense (UFF), atua nos cursos de pós-graduação e de aperfeiçoamento para professores universitários e de ensino médio e fundamental. É membro da Academia Brasileira de Letras e da Academia Brasileira de Filologia, Sócio-correspondente da Academia das Ciências de Lisboa, Doutor Honoris Causa da Universidade de Coimbra, e o representante da Academia Brasileira de Letras para a adoção do novo Acordo Ortográfico.


Francisco Platão Savioli

Bacharel em Latim e Linguística pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP; licenciado em Português, mestre em Linguística e Doutor em Linguística e Filologia Românica pela FFLCH/USP. Foi supervisor de Português e coordenador pedagógico da coleção Ensino Médio Zeta, do Sistema Anglo de Ensino (Abril Educação) e assessor da UNESCO, na área de Linguagens e Códigos para elaboração de protótipos curriculares de Ensino Médio: Currículo Integrado para o Ensino Médio das normas à prática transformadora (Brasília, 2013). Autor de várias obras: Curso Abril VestibularCaminhos da LinguagemGramática em 44 lições, Para entender o texto: leitura e redação, entre outras.


Maria Helena de Moura Neves

Professora emérita da Unesp. Doutora em Letras Clássicas- USP (Grego) e Livre-Docente – Unesp (Linguística e Língua Portuguesa). Atua na Pós-Graduação – Letras – UPMackenzie e Unesp. Produziu mais de 200 obras autorais (livros, artigos e capítulos). Destacam-se: Gramática na escola, 1990; A gramática funcional, 1997; Gramática de usos do português, 2000; A Gramática: história, teoria e análise, ensino, 2002; Guia de uso do português, 2003; Que gramática estudar na escola? 2003; A vertente grega da gramática tradicional, 2005; Texto e gramática, 2006; Ensino de língua e vivência de linguagem, 2010; A gramática passada a limpo, 2012; A gramática do português revelada em textos, 2018; Gramáticas contemporâneas do português (em colab.), 2014. Dicionários em equipe: Dicionário gramatical de verbos (Ed. Unesp, 1989); Dicionário de usos do português do Brasil (Ática, 2002); Dicionário UNESP do Português Contemporâneo (Ed. Unesp, 2004); e Grande Dicionário do Português escrito no Brasil (Ed. Unesp, no prelo). Coordenou (em colaboração) o Dicionário grego-português, 5 vol., 2006-2010 (Ed. Ateliê). Coordenou a equipe de Sintaxe II da Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Organizou mais de uma dezena de livros. Membro do Conselho Editorial de 14 revistas especializadas; Consultora de seis Fundações de Apoio à Pesquisa.

Newsletter
da Unil

[]
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder
Tamanho da fonte
Modo contraste
Open chat
X